08 dezembro 2009

Oi Velox invade privacidade do usuario

A Oi é muito conhecida pelo seu péssimo atendimento ao cliente, pelos seus planos estranhos e órfãos (você vê o plano na TV, na Internet ou no Jornal, mas ao ligar para contratar, ele não existe) ou pelas rebeldias no mercado (Desbloqueio Total). Tirando este último que sem dúvida foi uma mudança radical na telefonia móvel no Brasil, da Oi nada se salva.

O 3G não funciona; o Oi Fixo é vendido casado com o Velox - proibido por lei mas ignorado pelos tribunais e pela Anatel; o atendimento ao 0800 chega a machucar o cérebro e a propaganda enganosa segue o molde da política brasileira. Uma empresa como a Oi, encontrou no Brasil o melhor mercado para ganhar dinheiro sem investimento.

Fato este comprovado pela incapacidade de a Oi oferecer legitimamente os planos do Oi Velox. Seja de 1, 4 ou 8 Mbps, as velocidades atingidas estão longe de serem as ideias para o preço cobrado e para o plano prometido. E agora, lançam os planos de 14 e de 20 Mbps. Para conseguir oferecer estes planos, a Oi encontrou, no Traffic Shaping, a solução ideal para novos clientes, maior faturamento e zero de investimento.

Os dados coletados pela empresa Ellacoya mostram que 46% de todo o tráfego na Internet hoje é gerado por conteúdo HTTP, principalmente por causa do streaming de serviços de audio e video como YouTube, Vimeo, Last.FM e outros. (fonte).



A consequência disso foi péssima para os clientes dos provedores brasileiros, que querem aumentar seu faturamento, sem investir em infra-estrutura. A solução pareceu óbvia: controlar o consumo de conteúdo pesado (video). Para isso, a infra-estrutura atual dos grandes provedores é suficiente: uma regra no roteador e o problema está resolvido. O problema do provedor, em conseguir entregar banda para uma parcela dos clientes: os novos clientes.

Clientes antigos sofrem com o controle de banda. A regra tem sido aplicada a usuários antigos, usuários com uso diário da banda, e usuários com perfis pesados (video streaming, audio, downloads). Isto para garantir que os novos clientes não abandonem o serviço, e ainda invistam nos planos mais caros.

A Oi desta forma está invadindo a privacidade destes usuários. Ao analisar o conteúdo dos arquivos sendo trafegados para poder impôr limite, a empresa quebra o termo de privacidade que protege o cliente e seus dados trafegados. Invasão de privacidade é crime. Estes clientes estão tendo seus dados monitorados para que o sistema da Oi possa controlar a velocidade, e desta forma resguardar outros clientes. A Oi está privilegiando novos contratos.

Novamente: para que a Oi possa controlar a velocidade de certos tipos de arquivos, é preciso analisar estes arquivos e identificar o seu conteúdo. Se você é cliente Velox, a Oi está invadindo a sua privacidade quando você obtém um arquivo de vídeo e a taxa de transferência fica notavelmente abaixo do plano contratado, mesmo vindo de um servidor potente (como YouTube).

Repare no vídeo abaixo:



Tome uma atitude agora: chame um técnico da Oi, mostre a ele que a Oi limita a velocidade da sua conexão para certos tipos de arquivos, e exija um laudo técnico a respeito.

[]'s
Bruno
Postar um comentário
Contato

Email:bruno.borges(at)gmail.com

LinkedIn: www.linkedin.com/in/brunocborges
Twitter: www.twitter.com/brunoborges
Comprei e Não Vou
Rio de Janeiro, RJ Brasil
Oracle
São Paulo, SP Brasil