12 maio 2008

Falou Sampa, Fala Rio!

Aqui estou eu, após algumas horas de backpacking, mas dessa vez não apenas para uma viagem a trabalho. Desta vez, vou para o Rio de Janeiro com o objetivo de morar por uns tempos. De início, apenas o mochilão nas costas para firmar o território, mas aos poucos, a mudança será completa. Foram dois ótimos anos em São Paulo, vários amigos e principalmente muita experiência de vida adquiridos na cidade brasileira que não pára. Nem mesmo no farol vermelho.

Incrível a diferença cultural que existe entre as duas cidades, e ambas com tamanho conteúdo a ser absorvido. Me perguntam às vezes, porque eu fui maluco de sair de Floripa e vir para Sampa. Eu respondo: porque aqui, as oportunidades de experiência de vida são catalizadas exponencialmente se comparadas com as de qualquer outra cidade. Isto não significa que Floripa não oferece o mesmo. Mas não no mesmo curto prazo de tempo. Posso dizer que em 2 anos, obtive ensinamentos de vida que jamais teria em 5 anos se em outras cidades. E agora, graças a Sampa, recebo a oportunidade de ir para o Rio.

Foram meses de viagens a trabalho, e agora a consolidação. O que plantamos, colhemos, certo? Pois posso dizer também, que plantei muita vontade de viajar pelo Brasil e pelo mundo, e tudo isso está acontecendo. E de tudo que passa à minha frente, só dou atenção ao que é bom, me dá lições e alegria. Se vejo violência em Sampa ou no Rio? Só quando ligo a TV. Estou atrás de experiências de vida, sejam elas boas ou ruins. Mas desejo sempre que sejam das melhores, é claro. E espero que continue assim.

Neste momento de despedida, o que me entristece é que só agora, na última semana em Sampa, é que fiz incríveis amizades com a turma do CouchSurfing. Festa do pijama, videokê na Liberdade e rock no O'Malleys. Uma semana e tanto para fechar com chave de ouro esta fase da minha vida na Selva de Pedra! Quanto a essas novas amizades, o contato está firmado, e jamais esquecerei. Além disso, quando vir para Sampa para um final de semana de festa com certeza não será difícil achar um sofá para dormir as noites (ou as manhãs!). Galera do CouchSurfing, valeu! PS: CS do Rio, me aguardem... estou chegando! :D

Sampa deixou marcas, é verdade. E não de chupões. Mas de muita coisa boa que só vindo para cá que será possível acreditar na vasta oferta de lazer e diversão (apesar de não haver praia!). Foram várias e várias noites nos botecos da Vila Madalena, regadas a muita cerveja Original no copo americano, especialmente no Seu Jorge. Muitas risadas no Clube da Comédia Stand-Up e em outras diversas peças de teatro. No cinema, encontrava momentos de cérebro vazio de pensamentos, apenas atento ao brilhantismo com as imagens de filmes como Transformers na telona do Cinemark. As baladas são infinitas, mas as melhores são as mais estranhas, undergrounds e freaks possíveis, como o Vegas, o Inferninho (ambos na Rua Augusta) mas ainda tem as "patty driven" como o Cabaret e o Manga Rosa. Deu até para curtir uma Rave na região. Ainda tive tempo de curtir também uma Virada Cultural em 2007, com shows no centro da cidade em plena madrugada, com luzes que iluminavam prédios históricos de forma majestosa. Curti ainda muitas opções gastronômicas com amigos que sabiam os hot spots de comida da cidade. Comida chinesa, japonesa, da Mongólia, italiana, alemã e mexicana, além da clássica feijoada paulistana, pastel de feira com caldo de cana e café da manhã nas esquinas das avenidas.

E agora, que venham os sambas, chorinhos e bossas da Cidade Maravilhosa. Com muita cerveja, chopp, bolinho de bacalhau e feijoada! O futvôlei em Copacabana dispensarei, mas talvez uma escalada no Pão de Açúcar eu encare. Não dá para perder também os jogos do Flamengo no Maracanã, muito menos as noites da Lapa. E para fechar uma semana produtiva, basta dar um pulo no mar de Ipanema no Domingo enquanto o Faustão agita a turma do "Se vira nos 30".
De Passeio no Rio


O Cristo já me espera de braços abertos, os amigos de lá também. Só espero que a vida também!!!

Aos amigos de Sampa, obrigado por tudo, de verdade! Aos do Rio, que o futuro seja incerto, porque saber o final do filme não tem a menor graça.




É isso... Floripa até os 23 anos de idade, aos 25 em Sampa, e no Rio até sabe lá Deus quando...

[]' s!
Postar um comentário
Contato

Email:bruno.borges(at)gmail.com

LinkedIn: www.linkedin.com/in/brunocborges
Twitter: www.twitter.com/brunoborges
Comprei e Não Vou
Rio de Janeiro, RJ Brasil
Oracle
São Paulo, SP Brasil