17 maio 2010

II Guerra do Contestado: em Florianópolis

É o que devem querer os atuais governantes de Florianópolis. Uma briga entre os "caboclos", ou nas atuais circunstâncias, os "estudantes" e a população em geral contra o poder do Estado e o setor privado (o que acabam sendo as mesmas pessoas). A Guerra do Contestado do século 21 renasceu graças a três principais acontecimentos na última década, e se prepara para alcancar seu momento mais delicado na próxima Quinta-feira, dia 20 de Maio de 2010. Anote esta data. Na Sexta-feira, você vai facilmente associar este texto com as notícias do dia:
[...] Originada nos problemas sociais, decorrentes principalmente da falta de regularização do transporte público da posse de terras, e da insatisfação da população hipossuficiente, numa região em que a presença do poder público era pífia [...]
Sim, fiz um ajuste no trecho publicado na Wikipedia, apenas atualizando-o para os dias de hoje. Não muda muita coisa. Veja este resumo, caso você não se lembra, ou ainda não estudou a Guerra do Contestado.

Talvez se associarmos a batalha atual com o que aconteceu entre 1912 e 1916, o movimento ganhe maior apoio da população. Caso você não se recorde dos eventos desta última década que estão impulsionando para este fim, assista ao vídeo abaixo. Se você se recorda, refresque a sua memória.


Democracia Militar from Vinicius Possebon (Moscão) on Vimeo.

Dez anos se passaram, e a causa contra o abuso do poder ganha força. Existe uma diferença entre defender a ordem pública e atacar estudantes em manifestações pelas ruas. Afinal, não fossem essas manifestações, você não estaria vivendo numa democracia neste exato momento. Talvez nem tivesse Internet na sua casa e se tivesse, seria censurada.

O dia 20 de Maio de 2010 antecede meu aniversário. E eu gostaria de acordar na Sexta-feira com a notícia de que nada aconteceu. De que a população não se rebelou contra o Estado. De que a II Guerra do Contestado não aconteceu. Mas só terei certeza disso se antes eu ver a notícia de que o prefeito de Florianópolis cancelou o reajuste das tarifas de ônibus.

Ao acordar e ver que o prefeito não defendeu os interesses do povo, vou ficar feliz ao ver no noticiário fotos e vídeos de estudantes, trabalhadores, mães e crianças com as caras pintadas, com faixas, cartazes, camisetas e megafones, protestando contra este abuso.


Quinta-feira, 20 de Maio de 2010
II Guerra do Contestado
Postar um comentário
Contato

Email:bruno.borges(at)gmail.com

LinkedIn: www.linkedin.com/in/brunocborges
Twitter: www.twitter.com/brunoborges
Comprei e Não Vou
Rio de Janeiro, RJ Brasil
Oracle
São Paulo, SP Brasil